25 de junho de 2017

Entrevista com ANDROMALIUS



Conversamos com a horda Andromalius de Tocantins, fundada em 2008 e nos rendeu a entrevista que segue abaixo. Confiram!!



OAT: Saudações guerreiros! É um prazer ter a participação de vocês no Occultus Ars Tenebrae Webzine. Conte-nos um pouco sobre suas inspirações para criar suas letras e melodias?

Saudações a todos os leitores da Occultus Ars Tenebrae Webzine. A perversidade humana, a misantropia e a aversão a hipocrisia religiosa implantada pela igreja, são temas abordados em nossas músicas. Mas acreditamos que o grande diferencial das nossas letras é a inserção de referências a culturais, lendas e histórias da nossa região, o Tocantins.  Buscamos sempre criar melodias que possuam coerência com a temática das letras, levando ao público sentimentos melancólicos, nostálgicos ou sensação de fúria, revolta e liberdade através do peso de nossos riffs. 


OAT: Como foi para a banda retornar aos seus trabalhos após quatro anos parados? E por que houve essa pausa?

Após diversas mudanças na formação da banda, restaram somente Tormentor (Matheus Oliveira) e Thanatos (Thiago Ferreira).  Tormentor se mudou para outra cidade por motivos profissionais e devido a distância, ficou inviável continuar os ensaios e composições.  A banda teve um ótimo retorno, reiniciamos as atividades em um bom momento, a qual, várias bandas novas estavam surgindo, e o Andromalius retornou para ajudar a fortalecer a cena underground local. A formação atual conta com Thanatos, Tormentor e Carlito Cesar (Ghoul).


OAT: O que cada integrantes fez durante a pausa de quatro anos que a Andromalius teve?

Durante esse tempo, Tormentor se dedicou somente aos estudos e trabalho, dando uma pausa nas atividades musicais. Thanatos seguiu o mesmo caminho, porém se manteve na ativa, assumindo o posto de guitarrista em sua antiga banda de heavy metal (discórdia inc).

OAT: A Andromalius já tocou em vários festivais, Qual deles foi o mais marcante segundo a banda?

Andromalius em Paraguai com certeza foi sensacional. Desde a recepção e aceitação do público e lançamento do Split “Pacto em lo escuro” pela THE IRON RIFF produções, com participação de outras incríveis bandas Paraguaias. Foi marcante, pelo fato de ser o primeiro show fora do Brasil. Fica nossos agradecimentos aos hermanos paraguaios.


OAT: A banda já tem uma data prevista de quando sairá o seu primeiro Full Lenght intitulado como “Caindo em Trevas”?

Foram muitos anos de espera, estamos muito entusiasmado e empenhados nas gravações para que finalmente saia até Dezembro deste ano. O álbum “Caindo em Trevas” contará com 10 faixas, incluindo algumas novas faixas jamais tocada em palco.

OAT: O que o nome Andromalius significa para a banda? De onde veio a inspiração para este nome?

Andromalius é um ser imponente retirada da Goetia, “o livro dos espíritos infernais”  , procurávamos algo que estivesse relacionado a escuridão que expressamos em nossas músicas, e logicamente um grande problema em se batizar um projeto, é a imensidão de bandas homônimas que pode existir, vimos a disponibilidade do nome e percebemos que a figura do conde Andromalius era perfeita para nós representar. 


OAT: Como você vê a cena do metal extremo da sua região?

É uma cena ainda em ascensão. Porem ouve uma grande evolução com o surgimento de várias bandas, se comparando com o período em que o Andromalius iniciou suas atividades. Além de tudo nossa região ultimamente tem sido na rota de bandas renomadas do underground nacional. 

OAT: Como foi para Lucas Nile Limas assumir os vocais da Andromalius? Houve uma boa adaptação pela parte da banda e do seu novo membro? 

A banda já possuía seu repertório fechado quando Lucas Nile entrou na banda. O seu vocal e a performance se encaixaram perfeitamente com o que o Andromalius buscava. 


OAT: O que a banda espera para o ano de 2017?

Esperamos concluir o nosso primeiro fulllength “Caindo em Trevas” , e realizar várias apresentações por todo o Brasil.


OAT: A banda tem planos de vir ao Rio Grande do sul no futuro?

Com certeza, seria uma honra para nós. O Rio Grande do Sul possui uma cena forte, e sempre estamos ligados nos eventos e bandas que surgem por ai.


OAT: A banda já dividiu o palco com algum grande nome do metal?

Já dividimos palco com bandas conhecidas no cenário underground nacional como Heia, Luxuria de Lilith, Oligarquia. São bandas que acompanhávamos seus trabalhos antes mesmo de iniciarmos as atividades. 


OAT: Existe alguma banda ou música que os fez montar este projeto?

Sim, existem várias bandas e músicas que nós influenciaram, alguns exemplos são os álbuns Diabolical Fullmoon Mysticism (Immortal), Nemesis Divina (Satyricon), Fragments of a Broken Past (Nocturnal Depression).

OAT: Agradecemos a disponibilidade, é uma honra que tenham nos concedido esta entrevista. Deixamos o espaço final para considerações finais para seus fãs e leitores. 

Agradecemos a Occultus Ars Tenebrae Webzine e aos seus leitores pelo espaço concedido. Um abraço a todos os produtores que confiaram em nosso trabalho e ao público que nos acompanha e apoia. Sigam nosso canal no Youtube e nossa page no Facebook e fiquem por dentro de nossas atividades. Obrigado, vida longa ao metal underground nacional.